bwin

Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa recua, mas fecha junho em alta de 9%; dólar cai

Indicador registrou o melhor desempenho mensal desde o final de 2020.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 6 minutos

  • Telegram
  • Flipboard
  • Google News

O Ibovespa, principal indicador da bolsa de valores brasileira, virou e fechou em queda nesta sexta-feira (30), mas encerrou o mês em alta. O dólar, por sua vez, encerrou a sessão e o mês em queda. No dia, investidores repercutiram a reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) do dia anterior e dados de inflação dos Estados Unidos

O Ibovespa encerrou a sexta-feira em queda de 0,25%, aos 118.087 pontos. Apesar do recuo, o indicador fechou junho com alta de 9%, registrando o melhor desempenho mensal desde o final de 2020. Já no primeiro semestre de 2023, a alta acumulada pelo indicador é de 7,61%.

A moeda norte-americana fechou o dia em queda de 1,19%, a R$ 4,7889, acumulando recuo de 5,60% neste mês e de 9,20% no ano.

Operadores alertaram para maior instabilidade nos negócios antes da formação da Ptax de fim de mês e semestre. A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central que serve de referência para a liquidação de contratos futuros. No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la para níveis mais convenientes às suas posições, sejam elas compradas ou vendidas em dólar.

Meta de inflação

Na véspera, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou que o governo comunicou ao Conselho Monetário Nacional (CMN) que decidiu adotar uma meta de inflação “contínua” a partir de 2025 e que o colegiado optou por manter, em 2026, a mesma meta de 3% já vigente para 2024 e 2025, com 1,5 ponto percentual de tolerância para mais ou para menos.

Os ministros da Fazenda, Fernando Haddad e do Planejamento, Simone Tebet, durante coletiva sobre a nova regra fiscal. (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)
Os ministros da Fazenda, Fernando Haddad e do Planejamento, Simone Tebet, durante coletiva sobre a nova regra fiscal. (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)

Haddad pontuou ainda que o horizonte para cumprimento da meta contínua será de 24 meses.

“Investidores avaliaram positivamente tanto a apresentação do Relatório de Inflação, em que o presidente do BC, Roberto Campos Neto, reiterou a sinalização de corte em agosto presente na ata, (quanto) a decisão do Conselho Monetário Nacional, que manteve a meta em 3% em 2025, apenas desvinculando-a do ano calendário, de modo que a meta passará a ser contínua a partir deste ano”

Guide investimentos, em relatório

Desde o início do novo governo, alguns participantes do mercado temiam que as metas de inflação poderiam ser alteradas de forma mais agressiva, o que poderia abalar a credibilidade do país aos olhos de investidores estrangeiros, de forma que o desfecho foi, no geral, um alívio.

Dados dos EUA

Investidores também seguiram de olho em dados sobre a economia dos Estados Unidos. Números divulgados nesta manhã mostraram que os gastos do consumidor desaceleraram acentuadamente em maio, enquanto o índice de inflação PCE, o favorito do Federal Reserve (Fed) para acompanhar a dinâmica de preços, desacelerou em linha com o esperado.

Os dados alimentaram o apetite por risco ao sinalizar esfriamento da economia e das pressões inflacionárias nos EUA.

Os operadores precificavam uma chance de 85,6% de que o Fed eleve os juros em 25 pontos-base para a faixa de 5,25% a 5,50% em sua reunião de julho, de acordo com a ferramenta Fedwatch do CMEGroup, ligeiramente abaixo dos 89,3% na quinta-feira.

Destaques da B3

MRV

AMRV&CO(MRVE3) avançou e fechou em alta de 3,58%, a R$ 11,57, após anunciar a venda do empreendimento Pine Ridge, localizado na Flórida, Estados Unidos, pelo valor geral de venda (VGV) de US$ 77 milhões, representando lucro bruto de US$ 17,1 milhões.

BRF

ABRF(BRFS3) encerrou com ganho de 3,24%, a R$ 8,91, em meio a expectativas relacionadas a uma aguardada capitalização sinalizada pela companhia. De acordo com o Valor Econômico, a empresa anunciará na segunda-feira a oferta de ações para dar entrada ao investimento do fundo soberano da Arábia Saudita, Salic, e da Marfrig.

CSN

ACSN(CSNA3) fechou em queda de 6,19%, a R$ 12,13, tendo como pano de fundo relatório do JPMorgan cortando a recomendação para as ações para “neutra” e reduzindo o preço-alvo de R$ 21 para R$ 14.

Petrobras

As ações da Petrobras(PETR4ePETR3) fecharam em queda. O papel PETR3 encerrou com recuo de 5,13%, a R$ 33,10. Já ação PETR4 fechou em baixa de 4,83%, R$ 29,53, tendo como pano de fundo anúncio da companhia de que reduzirá em R$ 0,14 por litro (-5,3%) o seu preço médio de venda de gasolina A para as distribuidoras. A gasolina da empresa passará a valer R$ 2,52 por litro a partir de sábado, segundo comunicado da estatal.

Bolsas mundiais

Wall Street

Os principais índices de Wall Street subiam nesta sexta-feira, encaminhando-se para um forte desempenho trimestral, com as ações da Apple atingindo máximas recordes e sinais de desaceleração da inflação nos Estados Unidos fornecendo alívio aos investidores preocupados com mais altas de juros.

As ações da Apple subiram 1,6% para atingir a máxima histórica de 192,74 de dólares e chegou à marca de avaliação de mercado de 3 trilhões de dólares pela primeira vez desde janeiro de 2022.

Ajudadas por ganhos na Apple, as ações de tecnologia subiam 1,6% e lideravam o avanço entre os 11 principais setores do S&P 500.

Às 15h, o índice S&P 500 ganhava 1,31%, a 4.453,99 pontos, enquanto o Dow Jones subia 0,93%, a 34.440,91 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançava 1,56%, a 13.802,72 pontos.

Europa

As ações europeias subiram nesta sexta-feira, com dados fracos sobre a atividade industrial da China alimentando esperanças de mais estímulos, mas encerraram o trimestre com perspectiva sombria, já que as preocupações com mais aperto na política monetária e a demanda chinesa fraca limitaram os ganhos.

Salão da Bolsa de Valores de Frankfurt 09/05/2022 REUTERS

  • Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,80%, a 7.531,53 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,26%, a 16.147,90 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,19%, a 7.400,06 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,08%, a 28.230,83 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,87%, a 9.593,00 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,35%, a 5.920,31 pontos.

Ásia

O mercado acionário da China subiu e as ações de Hong Kong ficaram estáveis nesta sexta-feira, com dados fracos sobre a atividade industrial chinesa aprofundando as preocupações econômicas e fortalecendo as justificativas para novos estímulos.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,14%, a 33.189 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,09%, a 18.916 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,62%, a 3.202 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,54%, a 3.842 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,56%, a 2.564 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,16%, a 16.915 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,04%, a 3.205 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,12%, a 7.203 pontos.

(*com informações da Reuters)

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

Boletim bwinBoletim bwin
ANÚNCIO PATROCINADOConfira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Hidrogênio Verde
bwin Mapa do site