bwin

Siga nossas redes

Perfis de empresas

Da garagem ao topo do mundo: como a Apple moldou sua trajetória de sucesso

Você conhece a história da Apple? Descubra como foi a sua fundação, desde seus fundadores, Steve Jobs, Ronald Wayne e Steve Wozniak, ao trilhão

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 13 minutos

  • Telegram
  • Flipboard
  • Google News
SloganThink different (pense diferente)
Fundação01/04/1976
FundadoresSteve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne
País de origemEstados Unidos
Tipo de empresaListada na bolsa de valores
AtividadeTecnologia
SedeCupertino, Califórnia, EUA,

Uma das empresas mais valiosas e inovadoras do mundo, a Apple mudou o modo como as pessoas lidam com a tecnologia, criando produtos inovadores e cheios de apelo ao público. Por isso, vale a pena conhecer em detalhes a história da Apple. 

Apesar de a Apple(AAPL34) ser, hoje, uma das empresas mais valiosas do mundo, com um valor de mercado que ultrapassa US$ 3 trilhões, o início da companhia foi conturbado e ela chegou a enfrentar algumas crises em diferentes momentos de sua trajetória. 

Contudo, os gestores dessa organização, com destaque especial para Steve Jobs, conseguiram contornar esses problemas e, hoje, a empresa da maçã é uma das mais conhecidas de todo o mundo. Sendo assim, quem se interessa por negócios, marketing e finanças, precisa conhecer a história da Apple. 

Caso prefira, confira o conteúdo abaixo em áudio:

REUTERS/Dado Ruvic

O que é a Apple?

A Apple é uma empresa de tecnologia localizada na cidade de Cupertino, na Califórnia. A companhia é especializada na produção e comercialização de produtos eletrônicos, como smartphones e computadores, além de também atuar na criação de softwares.

Os produtos da Apple revolucionaram o modo como as pessoas ouvem música e usam o celular, além de terem contribuído de uma maneira significativa para a popularização do uso dos computadores pessoais. 

Alguns dos produtos mais conhecidos da empresa são o iPhone, o iPad e o MacBook. Além de ser uma referência no setor de tecnologia, outra área da Apple que também possui muito destaque é o marketing. 

A empresa da maçã revolucionou o mundo do marketing ao apresentar os seus produtos para o público de uma forma muito envolvente e inovadora. Sempre que essa companhia anuncia um novo lançamento, os profissionais da área de publicidade de todo o mundo param para apreciar a apresentação do CEO da marca.

Criação da Apple

A história da Apple começou no ano de 1976, quando um grupo de três jovens amigos se uniram com o objetivo de produzir e comercializar o seu primeiro computador, que seria chamado de Apple I.

Apesar desse produto apresentar uma tecnologia avançada para a época, ele não fez sucesso e foi rejeitado por grandes empresas do ramo da computação, como a Hewlett-Packard (HP). No entanto, os três sócios continuaram aprimorando o seu produto e, no ano seguinte, lançaram o Apple II, um computador que foi bem-aceito pelo mercado. 

Quem fundou a Apple?

A Apple foi fundada por Steve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne, que se conheceram por meio de um amigo em comum e consolidaram a amizade por apresentarem a mesma paixão por inovações tecnológicas. 

Apesar de terem em comum o interesse pela tecnologia, o perfil de cada um dos fundadores da Apple é bem diferente. Por isso, quem quer entender melhor a trajetória dessa empresa precisa conhecer o perfil de cada um deles.

Steve Jobs — Marketing

Steven Paul Jobs, mais conhecido como Steve Jobs, é certamente o nome atrelado à Apple mais conhecido entre o público. O empresário nasceu em 24 de fevereiro de 1955 em São Francisco, Califórnia. 

No ano de 1972, Jobs se matriculou na Reed College, no Oregon, mas não chegou a concluir os seus estudos. Entre 1974 a 1975, o cofundador da Apple trabalhou na Atari, uma empresa muito conhecida pela fabricação de vídeo-games. Em 1976, Steve Jobs fundou a Apple.

Jobs foi uma das grandes mentes por trás das inovações tecnológicas da empresa, sem falar que ele também foi um dos principais responsáveis pelo marketing bem-sucedido da companhia. 

Steve Jobs criador da Apple
Crédito: Bloomberg

Steve Wozniak — Engenharia

Steve Wozniak nasceu no dia 11 de agosto de 1950 em San José, na Califórnia. Desde cedo, demonstrou interesse pela área da computação e aprendeu a programar sozinho, com a ajuda de livros. 

Wozniak se formou em engenharia eletrônica pela Universidade da Califórnia, em Berkeley, e, antes mesmo de se formar, começou a trabalhar como programador na HP. Nessa empresa, o futuro cofundador da Apple trabalhou em um projeto que, posteriormente, seria conhecido como o “iPhone daquela época”.

Steve Wozniak conheceu Steve Jobs, que era cinco anos mais novo do que ele, por meio de um amigo em comum. Como possuíam muitos interesses semelhantes, os dois logo ficaram amigos e começaram a participar de uma organização voltada para a discussão e testes de hardwares e softwares.

No ano de 1971, Wozniak e Jobs fizeram o seu primeiro projeto juntos, que consistia em um aparelho de fazer ligações de longa distância gratuitamente, contudo, essa proposta não deu certo. Em 1985, Steve Wozniak deixou a Apple.

Ronald Wayne — Supervisão Administrativa

Ronald Wayne nasceu em Cleveland, Ohio, em 17 de maio de 1934. No ano de 1956, esse cofundador da Apple se mudou para a Califórnia. Em 1971, quando trabalhava na Atari, conheceu Steve Jobs, que o convidou para ser sócio dele e de Wozniak na empresa que estavam criando. 

A partilha da empresa entre os cofundadores seria a seguinte: Jobs e Wozniak ficariam, cada um, com 45% da companhia, enquanto Wayne teria direito a 10% das ações da organização. Contudo, 12 dias após assinar o contrato, Ronald Wayne vendeu a sua parte na empresa por US$ 800,00.

Um dos fatores que fizeram Wayne abandonar a recém-criada companhia foi que ele descobriu que o principal contrato da empresa era com uma loja que não tinha uma boa reputação. 

Esse fato fez com que Wayne ficasse com medo de que as suas finanças pudessem ser prejudicadas pelo negócio, já que, na época, ele era o único entre os três sócios que possuía algumas posses significativas. 

Wayne foi responsável por criar o primeiro logotipo da empresa, que era uma imagem de Isaac Newton sentado debaixo de uma árvore comendo uma maçã. Na época, ele recebeu US$ 1,5 mil pelo trabalho. Em 2011, esse desenho foi leiloado por US$ 1,6 milhão. 

Por que a marca se chama Apple?

Quem quer conhecer a história da Apple precisa saber que há várias teorias sobre o porquê de a empresa ter esse nome. Uma delas afirma que os fundadores da empresa queriam um nome que começasse com a letra “A” para posicionar a marca à frente dos concorrentes.

Outro fator que teria influenciado na escolha desse termo é a história de que Isaac Newton, ao observar uma maçã caindo de uma árvore, conseguiu desvendar a Lei da Gravidade. 

Também existe outra teoria referente ao nome da empresa que afirma que o termo “Apple” foi escolhido em referência à história bíblica de Adão e Eva, que mostra a maçã como fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Contudo, no ano de 1981, Steve Jobs deu uma entrevista afirmando que batizou a empresa dessa forma simplesmente porque gostava muito de comer maçãs.

Steve Jobs com Iphone na mão
Crédito: Bloomberg

Significado e evolução do logotipo

O primeiro logo da Apple, criado por Ronald Wayne, retratava Isaac Newton embaixo de uma macieira lendo um livro. Ele ainda trazia um trecho de um poema de William Wordsworth, que dizia: “Newton (…) uma mente sempre viajando pelos estranhos mares do pensamento”.

No entanto, esse logotipo foi alterado. Em 1977, Steve Jobs contratou o designer gráfico Rob Janoff, que também trabalhou para outras empresas do ramo da tecnologia, para criar outro logo para a companhia. Janoff criou, então, a primeira versão da clássica maçã mordida.

O primeiro logo do designer apresentava todas as cores do arco-íris. O único pedido de Jobs relacionado ao desenho foi que o topo da maçã fosse da cor verde. De acordo com Janoff, ele desenhou uma maçã mordida, pois, dessa forma, seria mais fácil para o público identificar a fruta. 

O logo feito por Janoff só foi alterado em 1988, quando a maçã passou a ser monocromática. No ano de 2001, a empresa adotou um logotipo com um desenho tridimensional e que dava a impressão de ter sido feito de vidro. Já em 2007, a Apple adotou um ícone cromado, com o objetivo de dar mais sofisticação à marca.

Logo atual 

Em 2015, a empresa da maçã substituiu o logo cromado por um logotipo monocromático, que costuma ser apresentado nas cores preto, branco ou cinza-escuro. Outra característica dessa versão do logotipo da Apple é que ela é mais plana do que a anterior.

O logo usado desde 2015 tem um design mais minimalista e discreto, mas, ainda assim, continua sendo um ícone sofisticado, que remete aos produtos exclusivos e altamente tecnológicos da empresa. 

28/03/2018. REUTERS/Dado Ruvic

Apple II: o primeiro sucesso

O Apple II, como o próprio nome sugere, foi o segundo computador lançado pela empresa. Ele era composto por um gabinete de plástico que vinha com um teclado incorporado. O produto também possuía uma interface gráfica bem amigável aos usuários. 

Esse computador foi lançado em 1977 e fez um grande sucesso, tanto que permaneceu na linha de produtos da empresa até o início da década de 1990.

Macintosh

O Macintosh foi o segundo grande sucesso da empresa. Lançado em 24 de janeiro de 1984, esse computador foi criado para que a Apple pudesse disputar com a IBM, que dominava o mercado. 

Esse computador possuía uma tecnologia bem avançada para a época, com uma capacidade de memória RAM maior do que a de muitas máquinas dos concorrentes. Mas certamente um dos principais fatores que fez com que esse produto seja lembrado até hoje foi a icônica apresentação que Jobs fez.

Em um palco escuro, Steve Jobs retirou o Macintosh de uma bolsa, ligou o computador e apresentou diversas funcionalidades do aparelho. No final, a máquina transmitiu o seguinte áudio: “Olá, eu sou o Macintosh! Com certeza é ótimo sair dessa bolsa.”

Super Bowl: a base da empresa

Outro evento que definitivamente contribuiu para que o Macintosh ficasse muito conhecido foi o icônico comercial dirigido pelo cineasta Ridley Scott e veiculado no intervalo do Super Bowl, um dos principais eventos esportivos dos Estados Unidos. 

Esse comercial faz referência ao livro “1984”, de George Orwell. No vídeo, diversas pessoas agem de maneira robótica, enquanto assistem a uma propaganda política em uma grande tela, até que uma moça, que é a única pessoa da peça a usar roupas coloridas, quebra o telão e interrompe a mensagem.

Em seguida, surge uma mensagem na tela dizendo o seguinte: “No dia 24 de janeiro, a Apple vai apresentar o Macintosh. E todos vocês verão porque 1984 não será como ‘1984’.”

A saída de Steve Jobs

No ano de 1985, Steve Jobs teve alguns desentendimentos com a diretoria da Apple, que o levaram a sair da empresa. O empresário, então, comprou a Pixar Animation Studio, que revolucionou a animação cinematográfica, tendo sido responsável por produções como “Toy Story” e “Procurando Nemo”.

Nesse período, Jobs também fundou outra empresa do ramo de computadores, a NeXT, que posteriormente foi comprada pela Apple.

iPhone: o maior sucesso

O iPhone é certamente o produto mais conhecido da Apple e também é o aparelho responsável por transformar o mercado de celulares. Tudo isso porque ele reuniu, em um só local, diversas tecnologias já existentes na época do seu lançamento. 

Esse produto, um grande marco da história da Apple, foi apresentado ao público no dia 9 de janeiro de 2007, mas só começou a ser comercializado no dia 29 de junho. Em apenas dois meses e meio, a empresa da maçã atingiu a marca de 1 milhão de iPhones vendidos. 

Com o lançamento do iPhone, a Apple deixou de ser apenas uma fabricante de computadores e passou a ser uma empresa de tecnologia de consumo. 

iPhone 12
Reprodução/Apple

A morte de Steve Jobs

Steve Jobs foi diagnosticado com câncer de pâncreas em 2003. Apesar da doença severa, no início, o fundador da Apple resolveu apostar em tratamentos alternativos, como acupuntura e uso de ervas medicinais.

Contudo, essas terapias não resolveram o problema e, em 2004, ele teve que passar por uma cirurgia para retirar o tumor. Mesmo após ter se submetido a esse procedimento, a saúde de Jobs continuou declinando.

Em 2009, o fundador da Apple precisou se submeter a um transplante de fígado. Em agosto de 2011, ele saiu oficialmente da empresa. No dia 5 de outubro de 2011, ele faleceu, deixando um grande legado no mundo da tecnologia. 

A primeira empresa a alcançar o trilhão

A melhor representação do sucesso da Apple em todo o mundo é que ela foi a primeira empresa do planeta a atingir o valor de US$ 3 trilhões, colocando a companhia à frente de gigantes como Google e Microsoft.

A Apple atingiu o primeiro trilhão de dólares em 2018. Já no ano de 2020, a marca da maçã chegou a um valor de mercado de dois trilhões de dólares, um grande feito para uma companhia que começou na garagem dos pais de Steve Jobs. 

Como a Apple e os fundadores estão em 2023?

A Apple é a empresa mais valiosa do mundo. Seus produtos são cobiçados por pessoas de todo o planeta e, sempre que a companhia lança um novo iPhone, filas quilométricas são formadas nas portas das lojas. Atualmente, a Apple está desenvolvendo uma inteligência artificial generativa para o iPhone. 

Dois dos fundadores da empresa ainda estão vivos em 2023. Steve Wayne, o primeiro a deixar a companhia, está aposentado e vive em Nevada. Já Steve Wozniak se dedica a projetos educacionais que visam ensinar tecnologia a crianças, além de também atuar com trabalhos filantrópicos.

Aprendizados com a Apple

Um dos principais aprendizados que podemos tirar com a história da Apple é aresiliência, ou seja, a capacidade que uma pessoa tem de se recuperar após passar por um evento adverso. Isso porque a trajetória dessa empresa foi marcada por muitos altos e baixos.

Outro aprendizado valioso da Apple é sempre se preocupar com as necessidades dos seus clientes. Foi com esse pensamento que a empresa conseguiu criar produtos icônicos e que revolucionaram o mercado. 

Filmes e livros sobre a história da Apple

Quem quiser se aprofundar um pouco mais na história da Apple pode gostar de ler a biografia de Steve Jobs, escrita por Walter Isaacson, além de assistir ao filme“Jobs”, estrelado por Ashton Kutcher, e ao documentário “Steve Jobs: The Billion Dollar Hippy”, produzido pela BBC.

A história da Apple é certamente muito inspiradora e deve ser conhecida por todos que gostam de inovação e negócios. Se você quiser conhecer outra trajetória inspiradora de um empresário também ligado ao setor de tecnologia, confira o perfil de Larry Ellison, fundador da Oracle.

Veja também

Boletim bwinBoletim bwin
ANÚNCIO PATROCINADOConfira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Hidrogênio Verde
bwin Mapa do site